domingo, 18 de setembro de 2016

Avaliação sobre debates e propostas para São Paulo.

Minha visão sobre os candidatos de prefeito para São Paulo e sobre o debate.

Celso Russomano se vale dos seus cinco mandatos como deputado e sobre a sua  luta diária de Defesa no consumidor. Isso é interessante e passa a seriedade de uma pessoa comprometida com as pessoas. Mas ele se contradiz muito. Ao falar claramente por exemplo que ia banir o UBER e após a pressão e críticas voltar a atrás dizendo querer agora regulamentar o serviço. Outro ponto é ter dito que sua candidatura iria ser destruída se falasse seu posicionamento sobre a jornada de trabalho de 12 horas, mas também voltou atrás e disse agora ser contra. Ou seja, não está dando pra acreditar em nada mais que ele diz. Ele não parece ter proposta ou opinião convicta.

João Dória se vale do discurso de que não é politico e sim administrador e um bom gestor. Repete isso várias vezes, anulando a possibilidade de falarem de seu histórico visto que nunca foi político. Ele faz na nossa cabeça um comparativo direto da sua carreira bem sucedida como empresário a uma bem sucedida prefeitura. Diz que vai administrar a cidade lindamente e que é possível com gestão. Porque é o que ele faz e falta em São Paulo. Gestão. Sim, tem toda a razão. Isso é a mais pura verdade do que precisamos. Eu concordo. No entanto, só isso parece meio vazio, duvidoso e claro: Repetitivo. É preciso fazer essa gestão ouvindo as pessoas, porque são elas que dizem os problemas da cidade. Para termos uma idéia de uma Gestão bem sucedida x Pessoas felizes, no meio corporativo por exemplo não é muito difícil pensarmos em empresas grandes e bem sucedidas mas com empregados insatisfeitos e mal remunerados.

Luiza Erundina, lembra os feitos bons que fez pela cidade, principalmente na área social e na educação, no entanto ninguém se esquece que a cidade perdeu com ela. Ela apoiou a greve geral de servidores municipais e chegou a usar dinheiro público para pagar anuncio na Folha em apoio a paralisação. Foi condenada a ressarcir os cofres públicos e fez vaquinha para pagar. Não gostei quando falou que foi perseguida na prefeitura porque isso não aconteceu. Gastou mal o dinheiro
público.

O mesmo acontece com Marta que lembra os feitos bons, como os Ceu (Centro Educação Unificado) e o Bilhete único presente até hoje. Mas claro que ninguém esquece que foi muito mal avaliada, gastando muito mal o dinheiro público esquecendo das áreas primordiais e ainda por cima criando tarifas ilegais como a taxa de luz e taxa do lixo. O que foi uma catástrofe.

O melhor mesmo até o momento foi o Haddad e Major Olimpio.

Haddad lamentavelmente defendeu Lula (isso foi feio), mas em compensação denunciou que tramita no congresso projetos dos quais os principais candidatos apoiam, mas que na televisão passam outra imagem. Ou seja, mentem descaradamente sendo duas caras. E também porque em sua campanha justificou os ataques aos radares na cidade com os números de redução de acidentes. Não fugiu da raia, e comparou muito bem com o uso do cinto de segurança que também foi criticado na época mas que hoje as pessoas tem o hábito de usar e são conscientes. Admitiu e disse que precisa de melhorias mas que indústria da multa não é. Eu acredito que o que exista hoje é falta de melhoria mesmo. Pessoas com carro hoje são reféns de muitas patifarias, como a controlar, falta de placas e sinalizações, radares pegadinha e etc. E isso nunca melhora. Parece que só piora, e por isso é chamado de indústria da multa.

Major Olimpio se destacou por lembrar que muitas das promessas são ilusórias e mentirosas e que para algumas propostas (para não dizer a maioria delas) não há dinheiro para isso. As suas promessas são também bem diretas. Ele prevê uma auditoria em todos os contratos municipais, o que é muito bom para administrar os gastos atuais e desnecessários da prefeitura. Major Olimpio já é autor de projetos de leis bons, como o que acaba com indultos de presos (10% dos presos saem e não voltam) o que é uma ameaça para as pessoas, e do projeto de lei que torna homicídio qualificado e crime hediondo a morte de policiais, endurecendo a pena para marginais que matam policiais, pessoas essas que arriscam sua vida todos os dias para nós. Além de outros projetos muito bons. Suas propostas para a segurança pública como prefeito são muito boas.

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

É picanha?

Estávamos em um debate no grupo whatsapp de uma situação real onde um cliente num restaurante na hora de pagar seu prato sinalizou que só depois de comer uma picanha, percebeu que era picanha suína. Ele até elogiou e não demonstrou insatisfação, mas alegou que o certo é que devia estar escrito na plaquinha na frente do prato do self service PICANHA SUÍNA,  e não somente PICANHA como estava.

O gerente ao invés de concordar, visto o cliente fez uma simples sinalização e até elogiou a comida, resolveu rebater dizendo que o cliente precisa saber o que está selecionando pra comer. O cliente então frustrado e contrariado argumentou que não tinha curso de açougueiro, que não era obrigado a saber disso e que cortes de carnes são muito difíceis de serem identificados depois de assados. E então depois de várias farpas trocadas, a conclusão foi que o cliente disse que não volta mais. Na minha opinião isto tudo poderia ter sido evitado. Sabemos que a célebre frase "o cliente tem sempre razão"  está errada, mas ela foi escrita com um propósito: Ouvir o cliente. Apenas ouvir.


 Na minha opinião o cliente precisa estar informado de tudo, desde cláusulas contratuais até uma mera picanha que está comendo. Quem quer ter um cliente, não pode dar margem para nada. Isso não era uma reclamação, mas virou uma briga de ego por parte do gerente para não reconhecer o seu erro e então do cliente para não ser menosprezado. Eu já confundi bife com fígado. Normal. Se há dificuldade em mudar a plaquinha, penso que o restaurante poderia adotar a medida de não colocar plaquinha em nenhum prato. Mas se decidiram informar o prato, a informação precisa ser completa e sem erros. Toda informação precisa. Uma placa de trânsito errada pode trazer multas, pode trazer acidentes... Uma informação errada quando você está perdido, vai te levar ao lugar errado. Informação não pode induzir ao erro.

Então no grupo alguns concordaram, outros não. E em meio a isso, surge um vegetariano com a seguinte frase:
- Eu vejo animais mortos.
Respondi imediatamente:
- Com que frequência?
E a pessoa saiu do grupo.
:/
Poxa cadê o senso de humor?

sábado, 28 de maio de 2016

Você costuma discordar na internet?

Claro! Isso todo mundo faz e o tempo todo. Não é possível concordar com tudo e com todos, e se isso acontecesse você seria certamente uma pessoa sem opinião própria e sem capacidade de raciocinar sozinho até mesmo para pequenas coisas do seu cotidiano.

Mas paremos para pensar um instante. Quando você discorda de algo, você realmente possui uma posição contrária formada ou em formação ao menos, ou está sendo levado por outras opiniões? Ou ainda você discorda simplesmente pelo fato de que discordar é legal e interessante na internet?

Tenho observado algumas postagens do facebook de artigos científicos, estudos sérios, postagens de revistas, reportagens curiosas e algumas pessoas vão lá e comentam assim: "Nossa, que postagem ridícula. Que artigo decepcionante..." E fica por aí. É só isso. Nada mais. O restante é só xingamentos, desabafo e sentimento ferido. Agora, o que será isso? É a capacidade argumentativa que não existe, é simplesmente uma vontade de parecer intelectual em algo que você não entende, ou será uma vontade agressiva de ser contra tudo e todos? Ou será tudo isso junto e misturado?

Não entendo o que leva as pessoas a falarem coisas tão vazias, agressivas e sem sentido. Esses dias eu vi uma galera se ofendendo fortemente em uma tirinha de humor. Uma tirinha de humor!

É estranho... Talvez pareça para a pessoa que seu comentário fosse rebaixar o professor, o cientista, a reportagem ou o autor da postagem.

Eu sempre achei sadio discussões inteligentes que aumentem nosso conhecimento e sem agressão. Discussão que nos levem a pensar. Mas comentários como esses, sem fontes, sem ao menos citar nada de relevante, sem elevar o nível... Esses comentários são desprezíveis e sem fundamento algum. E o pior é como um amigo meu mencionou: Está se fazendo uma guerra na internet, no facebook e em todo lugar. Se a sua opinião for contrária, mesmo que outros não saibam argumentar contra, eles partem pra porrada! As pessoas se sentem maiores e superiores, mas na verdade estão ridicularizando a si mesmas.

É triste.

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Inferno (2)

Mais uma visão sobre o inferno. A primeira foi essa, clique aqui.

Nesta visão abaixo, o inferno é um eterno trajeto onde não se chega a lugar algum, sendo atormentado por pessoas perguntando se já chegou e pago por um pedágio.

Só faltou o congestionamento.

Postagem original do Capinaremos.


terça-feira, 29 de março de 2016

Como 12 viram 13?

Sensacional enigma japonês. Como 12 homens viram 13.

Nesse enigma você se depara com a maior façanha diante dos seus olhos. Você inicialmente conta 12 homenzinhos, muda-se de lado as figuras de cima, eles trocam então de corpos e de cabeças e de repente você conta 13 homenzinhos.

Um apareceu do nada sem você perceber. Loucura?

Veja o enigma ai embaixo. Mas cuidado! Tentar resolver isso, pode te deixar louco...

Eu avisei hem.


Clique no link para abrir o site e depois selecione a setinha para você mesmo poder mover as partes do desenho e tentar descobrir.

OBS.: Eu não sei a resposta.